Primeiros estudos sobre ética animal: esboço de uma proposta de desenvolvimento político a partir de <em>Zoopolis</em> de Donaldson e Kymlicka

  • Gabriel Bittar Domingues Universidade Católica Dom Bosco
  • Josemar de Campos Maciel Universidade Católica Dom Bosco
Palavras-chave: ética animal, direitos dos animais, alteridade, senciência, política

Resumo

O objetivo deste estudo é de discutir a Ética Animal do ponto de vista da abordagem abolicionista dos Direitos dos Animais, que é aceita por Sue Donaldson e Will Kymlicka, mas que foi primeiramente desenvolvida por Gary Francione. Discute-se aqui uma possível maneira de se entender a política sob esse ponto de vista. A metodologia percorrida foi a revisão bibliográfica contando com livros relacionados ao tema, dissertações e artigos. Percebeu-se que, apesar de haver ainda muito a ser debatido sobre essa problemática, uma teoria política suficiente abrangeria ao menos, em seu campo moral, os animais não humanos sencientes, e que a forma humanista e/ou antropocêntrica de se pensar a política conta com uma obstrução lógica no que diz respeito à ética que fundamenta. Essa discussão é interdisciplinar, mas este artigo tem como foco a Filosofia e o Desenvolvimento Local.

Biografia do Autor

Gabriel Bittar Domingues, Universidade Católica Dom Bosco
Mestrando em Letras na Universidade Estadual de Matro Grosso so Sul (UEMS).Graduação em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Pesquisador do Laboratório de Humanidades (LabHu-UCDB).
Josemar de Campos Maciel, Universidade Católica Dom Bosco
Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Local da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), do Master in Territorial Development Erasmus Mundus e professor do curso de Licenciatura em Filosofia da UCDB.

Referências

BEKOFF, Marc. The animal manifesto: six reasons for expanding our compassion footprint. California: New World Library, 2010. 261p.

CURY, Silvia de Melo L. A filosofia da fidelidade ao ser: noções de humanismo. São Paulo: Edições Loyola, 1986. 87p.

DE WAAL, Frans B. M. Good natured: the origins of right and wrong in humans and other animals. Massachusets: Harvard University Press, 2003. 255p.

DONALDSON, Sue; KYMLICKA, Will. Animals and the frotiners of citizenship. Oxford Journal of Legal Studies, v. 34, n. 2, p. 201-19, jun. 2014. Disponível em: <https://academic.oup.com/ojls/article-abstract/34/2/201/1448869/Animals-and-the-Frontiers-of-Citizenship?redirectedFrom=fulltext>. Acesso em: 12 jun. 2017.

DONALDSON, Sue; KYMLICKA, Will. Zoopolis – a political theory of animal rights. Nova Iorque: Oxford University Press, 2011. 329p.

FRANCIONE, Gary L. Animals as persons: essays on the abolition of animal exploitation. Nova Iorque: Columbia University Press, 2008. 235p.

GERT, Bernard. Morality. In: AUDI, Robert (Org.). The Cambridge dictionary of philosophy. 2. ed. Nova Iorque: Cambridge University Press, 1999. 1001p.

HARARI, Yuval Noah. Homo deus: uma breve história do amanhã. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. 443p.

JOHNSON, Edward. Moral status In: AUDI, Robert (Org.). The Cambridge dictionary of philosophy. 2. ed. Nova Iorque: Cambridge University Press, 1999. 1001p.

REGAN, Tom. Animal rights, human wrongs: an introduction to moral philosophy. Lanham, MD: Rowman & Littlefield Publishers, 2003. 141p.

TRINDADE, Gabriel Garmendia da. Animais como pessoas: a abordagem abolicionista de Gary Francione. 2013. 219f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) –Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, 2013.

Publicado
2018-03-23