A filosofia lean manufacturing: seus princípios e ferramentas de implementação

  • Adriano Marinheiro Pompeu Universidade Anhanguera Educacional
  • Volmir Rabaioli Universidade Anhanguera Educacional
Palavras-chave: redução de custos, flexibilidade, qualidade

Resumo

O Lean Manufacturing é uma filosofia de gestão criada pela Toyota, baseada em princípios que visam à eliminação dos desperdícios e à flexibilidade da produção, tornando os processos mais ágeis, e os produtos, menos onerosos. A competitividade e a sustentabilidade das empresas estão cada vez mais relacionadas à diminuição dos custos de produção, resultante do conhecimento e aplicação de ferramentas que têm como objetivo a melhoria da qualidade dos produtos e processos. Entre as principais ferramentas, se destacam o Kanban, Programa 5 S`s, Desenvolvimento de Fornecedores, Fluxo Contínuo, Jidoka, Poka Yoke, Heijunka, Kaisen, Manutenção Produtiva Total, Jus in Time entre outras. Consequentemente, sua eficácia aumenta a satisfação dos clientes e a posição das empresas nos mercados cada vez mais globalizados.

Referências

ABRANTES, José. Gestão da qualidade. Rio de Janeiro: Interciência, 2009.

AKTOUF, Omar. A administração entre a tradição e a renovação. São Paulo: Atlas, 1996.

ARTO, J. R. V. Fundamentos Del Lean Manufacturing – Direccions de Operaciones. Madrid, España: EOI - Escuela de Organizacion Industrial, 2010.

CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIAS LIMPAS (CNTL). Implementação de Programas de Produção Mais Limpa. Porto Alegre, 2003.

FREITAS, Maria Ester de. Cultura organizacional: formação, tipologias e impactos. São Paulo: Makron Books/Mcgraw-Hill, 1991.

GREENFIELD, R. A. B. Desenvolvimento de um Sistema de Andon para Sistemas de Produção Lean. 2009. Tese (Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores) – Universidade do Porto, Portugal, 2009.

HIRANO, Hiroyuki. 5S na prática. São Paulo: IMAM, 1994.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Indicadores IBGE. jan. 2013. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/industria/pimpfbr/>. Acesso em: 12 jun. 2014.

LAPA, Reginaldo Pereira. Praticando os 5 sensos. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998.

LEAN INSTITUTE BRASIL. Os Princípios do Lean Trinking (Mentalidade Enxuta). [s/d]. Disponível em: <http://www.lean.org.br/5_principos.aspx>. Acesso em: 13 jun. 2014.

LIKER, Jeffrey K. O Modelo Toyota – 14 princípios de gestão do maior fabricante do mundo. Porto Alegre, RS: Bookman, 2005.

LIKER, Jeffrey; ROTHER, Mike. Por que os programas Lean fracassam? LIB - Lean Institute Brasil, 2011. Disponível em: <http://www.lean.org.br/artigos/152/por-que-os-programas-lean-fracassam.aspx>. Acesso em: 12 jun. 2014.

MORAES, Cláudio Pimenta de. Aplicação do Lean Manufacturing em plantas de recapagem de pneus. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 7., ago. 2011. Disponível em: <http://www.excelenciaemgestao.org/portals/2/documents/cneg7/anais/t11_0383_2142.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2014.

OHNO, T. O Sistema Toyota de Produção – além da produção em larga escala. Porto Alegre, RS: Bookman, 1997.

PORTER, M. E. Competição: estratégias competitivas essenciais. Boston, EUA: Harvard School Business Press, 1999.

RIBEIRO, Paulo Décio. KANBAN – resultados de uma implantação bem sucedida. 4. ed. Rio de Janeiro: COP, 1989.

ROTHER, M.; HARRIS, R. Criando fluxo contínuo: um guia de ação para gerentes, engenheiros e associados da produção. São Paulo: Lean Institute Brasil - Artsgraph, 2002.

ROTHER, Mike; SHOOK, John. Aprendendo a enxergar. São Paulo: Lean Institute Brasil, 2003.

SEVERIANO FILHO, C. Produtividade & manufatura avançada.João Pessoa, PB: Edições PPGEP, 1999.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSON, R. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 2009.

SHINGO, S. A revolution in manufacturing: the SMED System. Cambridge: Produtivity Press, 1985.

______. O Sistema Toyota de Produção: do ponto de vista da Engenharia de Produção. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 1996.

SILVA, Christian Egidio da. Implantação de um Programa ‘5S’. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 23., Ouro Preto, MG, 2003.

STEFANELLI, P. Utilização da contabilidade dos ganhos como ferramenta para a tomada de decisão em um ambiente com aplicação dos conceitos de produção enxuta. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Produção Mecânica) – Escola de Engenharia de São Carlos – USP, São Carlos, SP, 2007.

SUZAKI, Kiyoshi. Novos desafios da manufatura: técnicas para melhoria contínua. São Paulo: IMAM, 1996.

VIDOSSICH, Franco. Glossário da modernização industrial. Prefácio de Pierre F. Gonod. Itajaí, SC: Futurível, 1999. v. I.

WOMACK, J. P.; JONES, D. A mentalidade enxuta nas empresas - Lean Thinking. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

WOMACK, J. P.; JONES, D.; ROOS, D. A máquina que mudou o mundo.10. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

Publicado
2015-11-26
Seção
Artigos