CULTIVO DE Oreochromis niloticus EM SISTEMA DE RECIRCULAÇÃO DE ÁGUA ASSOCIADO AO FITOTRATAMENTO

  • Matheus Della Tonia Marchesi Curso de Engenharia Ambiental/Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná
  • Débora Cristina Souza Departamento de Biodiversidade e Conservação, Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná
  • Sonia Barbosa Lima Departamento de Biodiversidade e Conservação, Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná
Palavras-chave: biotratamento, amônia, conversão alimentar

Resumo

O desafio para o sistema fechado de criação de peixes é garantir a qualidade da água, assim o presente estudo avaliou um sistema de tratamento biológico utilizando macrófitas aquáticas associado a um tanque de cultivo intensivo de Oreochromis niloticus, em sistema fechado. O experimento foi realizado em duas repetições de 105 dias e de 152 dias e mediu-se o oxigênio dissolvido, a temperatura, o pH, a amônia total, a amônia não ionizada e o nitrito. Todos os parâmetros se mantiveram dentro dos limites ideais de cultivo, no entanto a conversão alimentar aparente foi de 3,23 Kg/Kg de peixe no primeiro manejo e de 4,48Kg\Kg de peixe no segundo. O baixo ganho de biomassa está relacionado as baixas temperaturas dos dois períodos de cultivo. O tratamento biológico se mostrou eficiente controlando os parâmetros considerados importantes no cultivo de peixes e indicasse a utilização deste sistema de baixo custo de operação.

Biografia do Autor

Matheus Della Tonia Marchesi, Curso de Engenharia Ambiental/Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná

Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão (2016). Mestrando pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Francisco Beltrão

Débora Cristina Souza, Departamento de Biodiversidade e Conservação, Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Maringá (1996), mestrado e doutorado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais pela Universidade Estadual de Maringá (2000/2005). Atualmente é professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Macrófitas Aquáticas, atuando principalmente nos seguintes temas: Identificação e ecologia de macrófitas aquáticas. Desenvolve projetos de pesquisa com fitorremediação com plantas
aquáticas. Desenvolve ainda estudos de ecologia vegetal em fragmentos florestais.

Sonia Barbosa Lima, Departamento de Biodiversidade e Conservação, Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão, Campo Mourão, Paraná

Possui Graduação em Licenciatura e Bacharelado em Química (1986), Mestrado em Química (1993) ambos pela Universidade Estadual de Maringá. Doutorado em Ciências pelo Curso de Doutorado em Química no Programa de Pós-Graduação em Química na Universidade Estadual de Maringá (2008). Atua como professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Campo Mourão na Coordenação de Ambiental. Tem experiência na área de Química Ambiental, com ênfase em Química Analítica Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Fitorremediação, Características Limnológicas e Tratamento de águas residuárias.

Publicado
2018-10-16