Sustentabilidade e turismo: renda, preservação e entretenimento em uma área de preservação

Palavras-chave: unidades de conservação, desenvolvimento local, preservação, turismo

Resumo

Tem o objetivo de descrever o processo de implantação da Reserva Particular do Patrimônio Natural “Ninho do Corvo” e verificar se esse empreendimento é compatível com a conservação da natureza, geração de renda, de modo a ser considerado um empreendimento sustentável. Utilizou-se de pesquisa qualitativa, por meio de um estudo de caso, observação direta, pesquisa bibliográfica e de campo, com aplicação de entrevista semiestruturada. Entre os principais resultados, destaca-se que o empreendimento emprega moradores locais, auxilia em pequenas proporções para o desenvolvimento do município, destaca-se como área de preservação aliando atividades de turismo e preservação ambiental. Conclui-se que seria interessante o empreendimento investir em programas de educação ambiental para envolver a comunidade local e desenvolver parcerias com mais empreendimentos vizinhos, a fim de estimular ainda mais a economia local.

Biografia do Autor

Vanessa Alberton, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)

Mestre em Desenvolvimento Comunitário e bacharel em Turismo pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), campus Irati, PR. Desenvolve pesquisas nas áreas de turismo em áreas naturais, ecoturismo e turismo de aventura.

Luis Paulo Gomes Mascarenhas, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)

Doutor em Saúde da Criança e do Adolescente. Mestre em Atividade Física e Saúde. Bacharel em Educação Física. Docente no curso de Licenciatura em Educação Física e no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário na Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Ronaldo Ferreira Maganhotto, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)

Doutor e mestre em Geografia. Bacharel em Turismo. Docente no Departamento de Turismo e no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, na Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Cláudio Shigueki Suzuki, Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro)

 Doutor e mestre em Ciências. Bacharel em Educação Física. Docente no Departamento de Educação Física e no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, na Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Referências

BANDUCCI JR, Álvaro; BARRETO, Margarita (Org.). Turismo e identidade local: uma visão antropológica. Campinas, SP: Papirus, 2001.

BRASIL. Ministério do Turismo. Turismo de aventura: orientações básicas. 3. ed. Brasília-DF: Ministério do Turismo, 2010.

BRASIL. Lei n. 9.985, de 18 de julho 2000. Regulamenta o art. 255, § 1º, incisos I, II, III e IV da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 18 de jul. 2000.

CEBALLOS-LASCURÁIN, Hector. Introdução: o ecoturismo como um fenômeno mundial. In: LINDBERG, K.; HAWKINS, D. E. Ecoturismo: uma guia para planejamento e gestão. 3. ed. São Paulo: Editora SENAC, 2001. p. 23-29.

DIAS, Reinaldo. Turismo sustentável e meio ambiente. São Paulo: Atlas, 2003.

EMBRAPA. Alternativas ao uso do fogo na agricultura e as etapas para planejamento de uma queimada controlada. Brasília-DF: Embrapa, 2015. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/2471085/alternativas-ao-uso-do-fogo-na-agricultura-e-as-etapas-para-planejamento-de-uma-queimada-controlada. Acesso em: 30 maio 2016.

EMBRATUR. Diretrizes para uma política nacional de ecoturismo. Brasília-DF: EMBRATUR, 1994.

FENNEL, David A. Ecoturismo: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2002.

FREITAS, Henrique; OLIVEIRA, Mírian; SACCOL, Amarolinda Zanela.; MOSCAROLA, Jean. O método de pesquisa survey. Revista de Administração, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 105-12, jul./set. 2000.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, Mariana Elias. Reflexões acerca da relação entre turismo e cultura. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, ano VII, n. 73, [s.p.], jun. 2007.

GONZÁLEZ REY, F. Pesquisa qualitativa em psicologia: caminhos e desafios. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ. Dados sobre RPPN no Estado do Paraná. Curitiba: IAP, 2017. Disponível em: http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1232. Acesso em: 20 jun. 2018.

INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ. Roteiro para planejamento de RPPNs no Estado do Paraná. Curitiba: IAP/DIBAP/DBio; DUC/Projeto Paraná Biodiversidade, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE cidades, 2010. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=412060. Acesso em: 24 fev. 2015.

LOPES, Gerson Luiz. Floresta ombrófila mista. Compêndio Online Gerson Luiz Lopes, Guarapuava, Laboratório de Manejo Florestal – Unicentro, 2012. Disponível em: http://sites.unicentro.br/wp/manejoflorestal/florersta-ombrofila-mista/. Acesso em: 20 fev. 2015.

MINAYO, Maria Cecilia (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

PARANÁ (Estado). Secretaria de Estado do Turismo. Diretrizes para o turismo em áreas naturais no Paraná. Curitiba: SETU, 2000. Disponível em: http://www.obsturpr.ufpr.br/artigos/diretrizesturismoareasnaturais.pdf. Acesso em: 26 ago. 2015.

PIRES, Paulo dos Santos. Dimensões do Ecoturismo. São Paulo: SENAC, 2002.

PRUDENTÓPOLIS (Cidade). Inventário da oferta turística de Prudentópolis. Prudentópolis: Secretaria Municipal de Turismo, 2015.

REJOWSKI, Mirian; COSTA, Benny Kramer (Org.). Turismo contemporâneo: desenvolvimento, estratégia e gestão. São Paulo: Atlas, 2003.

RPPN NINHO DO CORVO. Plano de manejo da RPPN Ninho do Corvo. Guarapuava: [s.l.], 2009.

RUSCHMANN, Doris van de Meene. Turismo e planejamento sustentável: a proteção do meio ambiente. Campinas: Papirus, 1997.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento: includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SERVIÇO GEOLÓGICO DO PARANÁ [MINEROPAR]. Atlas geomorfológico do Paraná. Curitiba: UFPR, 2006.

SCÓTOLO, Denise; PANOSSO NETO, Alexandre. Contribuições do turismo para o desenvolvimento local. Revista de Cultura e Turismo, Ilhéus, ano 9, n. 1, p. 36-59, fev. 2015.

SWARBROOKE, Jhon. Turismo sustentável: meio ambiente e economia. Aleph: São Paulo, 2000. V. 2.

UNESCO. La Carta de Belgrado: un marco general para la educación ambiental. Iugoslávia: Unesco, 1975.

VIANA, Fernanda Cauper; NASCIMENTO, Marcos Antonio Leite. O turismo de natureza como atrativo turístico do município de Portalegre, Rio Grande do Norte. Pesquisas em Turismo e Paisagens Cársticas, Campinas, v. 2, n. 1, 2009. [SeTur/SBE].

Publicado
2021-03-30