A privatização do espaço e suas implicações desde a produção do espaço de Henri Lefebvre

Palavras-chave: Henri Lefebvre, espaço social, privatização do espaço.

Resumo

O artigo pretende discutir  um tema já muito discutido e de envergadura, qual seja, o tema do espaço. Não obstante a esta, a proposta deste estudo parte da tese de Henri Lefebvre em sua obra The production of space (1974), especialmente no modo como o autor sustenta a noção de “espaço social”; mas para, a partir daí, pensar o processo de transformação do espaço em propriedade privada. Para o autor, o espaço pertence ao modo a priori de intuir os dados hyléticos. Junto com o tempo, fazendo parte da sensibilidade transcendental, são condições de possibilidade para o ato do conhecimento, acentuando a dificuldade em conhecer a própria ideologia dos fenômenos apresentados. No século XX, os matemáticos adotaram um estatuto do espaço como “coisa mental” ou “espaço mental”, seguindo uma tradição filosófica, chamada platonismo, oposta à tradição categorial aristotélica defendida por Lefebvre, generalizando a compreensão de seus limites discutidos. 

 

Biografia do Autor

Valéria Cristina Barbosa Taveira, Universidade Católica Dom Bosco
Advogada militante na área previdenciária e tributária. Possui Graduação em Direito pela Universidade Católica Dom Bosco (2017). Participou de projetos de iniciação científica enquanto acadêmica na aludida Instituição.
Victor Hugo de Oliveira Marques, Universidade Católica Dom Bosco
Possui graduação em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (2006), graduação em Teologia pelo Instituto de Filosofia e Teologia de Goiás (2010), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Goiás (2012) e doutorando no Programa de Pós-Graduação Desenvolvimento Local na Universidade Católica Dom Bosco. Atualmente é Coordenador do cursos de Licenciatura em Filosofia (EAD) e do Bacharelado em Filosofia, ambos da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), e docente destes mesmos cursos. É pesquisador do Laboratório de Humanidades (LabuH) e dos Estudos Críticos do Desenvolvimento. Tem pesquisado Ontologia, Espaço, Local e Desenvolvimento na perspectiva fenomenológica de Heidegger.
Flávia Palhares Machado, Universidade Católica Dom Bosco
Graduada em Arquitetura e Urbanismo Anhanguera/Uniderp (1999), Atua como Arquiteta e Urbanista em escritório próprio desde 1999, mestranda do programa de pós graduação em Desenvolvimento Local da Universidade Católica Dom Bosco.
Paulo César Lemes de Oliveira, Universidade Católica Dom Bosco
Formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica Dom Bosco

Referências

AGOSTINHO, Santo. Confissões: de magistro. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Coleção Os Pensadores).

ARISTÓTELES. Categorias. In: ARISTÓTELES. Órganon. 3. ed. São Paulo: Edipro, 2016.

BARROSO, Luís Roberto. Curso de Direito Constitucional Contemporâneo: os conceitos fundamentais e a construção do novo modelo. 7. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2018.

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. 11. ed. Brasília: UnB, 1998.

COELHO NETTO, J. Teixeira. A construção do sentido na arquitetura. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 1999.

DRUMMOND, John J. Historical Dictionary of Husserl’s Philosophy. Disponível em: https://www.pdfdrive.com/historical-dictionary-of-husserls-philosophy-e20162039.html.

HEGEL, Georg W. Cincia de la lógica. 5. ed. Buenos Aires: Ediciones Solar, 1982.

LEFEBVRE, Henri. The production of space. Tradução Donald Nicholson-Smith. Londres: Blackwell, 1991.

MOSELEY, Fred. O universal e os particulares na lógica de Hegel e em O Capital de Marx. Revista Opinião Filosófica, Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 14-43, 2016.

PETERS, Francis Edward. Termos filosóficos gregos. Um léxico histórico. Tradução Beatriz R. Barbosa. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1974.

ROUSSEAU, Jean Jaques. Discurso sobre a origem da desigualdade. Tradução Maria Lacerda de Moura. Edição Ridendo Castigat Mores. [s.d.]. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/desigualdade.pdf. Acesso em: 3 jul. 2018.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológicos da Geografia. 6. ed., 2. reimp. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2014.

SCHMID, C. A teoria da produção do espaço de Henri Lefebvre: em direção a uma dialética tridimensional. GEOUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, n. 32, p. 89-109, 2012.

Publicado
2019-08-16
Como Citar
Taveira, V. C. B., Marques, V. H. de O., Machado, F. P., & Oliveira, P. C. L. de. (2019). A privatização do espaço e suas implicações desde a produção do espaço de Henri Lefebvre. Multitemas, 24(57), 119-135. https://doi.org/10.20435/multi.v24i57.2353