Economia Circular: análise e aplicabilidade nas organizações sob a perspectiva da Teoria dos Stakeholders

Palavras-chave: economia de berço ao berço, equilíbrio sustentável, lucro dos stakeholders.

Resumo

O artigo apresenta uma investigação sobre o modelo de Economia Circular (EC) e sua aplicabilidade junto à Teoria dos Stakeholders. Buscou-se demonstrar os benefícios e dificuldades existentes em utilizar a circularidade dos mais variados produtos e serviços. Utilizaram-se estudos do estado da arte com o objetivo de delinear a pesquisa, apresentando o que há de mais relevante sobre os temas. Foram selecionados 20 trabalhos, entre teses e dissertações, obtendo-se dados para a compreensão e influência dos stakeholders nas organizações. Outras bibliografias deram suporte às análises realizadas. Verificou-se que a integração de seus interesses constitui o ponto primordial de seu desempenho como investidores e consumidores das marcas que operam com o modelo de EC. Foi possível averiguar a importância da EC nas organizações que zelam pelo equilíbrio entre as necessidades da sociedade, seus interesses e a preservação do ambiente, apresentando os principais conceitos de EC, e analisar sua aplicabilidade nas organizações sob a perspectiva dos stakeholders.

Biografia do Autor

Sandro Costa Gonçalves, Universidade Brasil

Mestrando em Ciências Ambientais pela Universidade Brasil (UB). Pós-graduado em Gestão de Pessoas pelo Centro Universitário de Santo André (UNIA). Graduado em Administração de Empresas pelo Instituto de Ensino Superior de Santo André (IESA). Coordenador de Cursos Tecnólogos em Gestão Financeira, Processos Gerenciais e Logística da Faculdade de Mauá (FAMA). Professor na FAMA e na Faculdade de Ribeirão Pires (FRP).

Evandro Roberto Tagliaferro, Universidade Brasil

Doutor e suficiente investigador em Administração Empresarial e Comércio Internacional, com ênfase em Meio Ambiente, Economia, Desenvolvimento Humano e Sustentabilidade pela Universidad de Extremadura (UEx), Espanha. Especialista em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade Cândido Mendes (UCAM), RJ. Graduado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia de São José do Rio Preto, SP. Professor titular e pesquisador na Universidade Brasil (UB).

Leonice Domingos dos Santos Cintra Lima, Universidade Brasil

Doutora e Mestre em Serviço Social pela Faculdade de História, Direito e Serviço Social da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP). Realizou pesquisa em Nível de Doutorado na Universidade Católica de Portugal (UCP). Especialista em Metodologia do Serviço Social pela Faculdade de Serviço Social de Lins e em Administração Hospitalar pela Universidade de Ribeirão Preto. Graduada em Serviço Social pela UNESP. Professora e pesquisadora do Programa de Mestrado em Ciências Ambientais da Universidade Brasil (UB).

Dora Inês Kozusny-Andreani, Universidade Brasil

Doutora em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP). Mestre em Agronomia Genética e Melhoramento de Plantas pela UNESP. Graduada em Licenciatura em Genética pela Universidad Nacional de Misiones (UNaM). Professora titular e responsável pelos laboratórios de Microbiologia e Biotecnologia da Universidade Brasil . Responsável pelo Programa de Iniciação Científica do campus de Fernandópolis da Universidade Brasil. Coordenadora da Comissão de Ética para Uso de Animais (CEUA). Vice-coordenadora do curso do mestrado em Ciências Ambientais e professora titular dos mestrados em Ciências Ambientais e em Bioengenharia na Universidade Brasil.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS [ABRELPE]. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil. Abrelpe, [s.l.], 2018. Disponível em: http://abrelpe.org.br/panorama/. Acesso em: 16 jul. 2019.

AZEVEDO, J. L. A Economia Circular Aplicada no Brasil: uma análise a partir dos instrumentos legais existentes para a logística reversa. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 11., 13-14 ago. 2015, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://www.inovarse.org/node/3815. Acesso em: jul. 2019.

BARAKAT, S. R. Capacidades organizacionais e a sinergia da criação de valor para stakeholders. 2018. Tese (Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas) – Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2018.

BARDERI, M. T. Aplicação dos princípios da Economia Circular em uma indústria de veículos comerciais. 2017. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana Padre Saboia de Medeiros, São Bernardo do Campo, SP, 2017.

BRASIL. Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília-DF, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 30 jun. 2021.

BAST, E. Brasil tem quase 3 mil lixões em 1.600 cidades. G1 (Globo), Rio de Janeiro, 26 fev. 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/natureza/noticia/2018/09/14/brasil-tem-quase-3-mil-lixoes-em-1600-cidades-diz-relatorio.ghtml. Acesso em: 15 maio 2019.

BENYUS, J. M. Biomimicry: innovation inspired by Nature. Nova York: Morrow, 2002.

CECHIN, A. A natureza como limite da economia: a contribuição de Georgescu-Roegen. São Paulo: Senac, 2010.

CINTRA, R. F. Stakeholders e setor turístico brasileiro: uma investigação na cidade de Londrina-PR. 2013. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, 2013.

D’AMARIO, E. Q.; SORANZ, R. F. A aplicação do modelo de saliência de stakeholders em gestores de bancos de varejo. In: ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO EMPRESARIAL E MEIO AMBIENTE, 16., 1-3 dez. 2014, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: ENGEMA, 2014.

DAMASCENO, A. B.; MACAPUNA. C. A. B.; JULIÃO, M. S.; PEREIRA, M. C. Tipos de Stakeholder. 2015. Dissertação (Especialização em Gestão e Governança de Tecnologia da Informação) – Centro Universitário Senac, Santo Amaro, SP, 2015.

DATSCHEFSKI, E. The total beauty of sustainable products. Crans-près-Celigny: Rotovision, 2001.

DYLLICK, T.; HOCKERTS, K. Beyond the business case for corporate sustainability. Business Strategy and the Environment, v. 11, n. 2, p. 131-41, 2002.

ELLEN MACARTHUR FOUNDATION [EMF]. Towards the circular economy: economic and business rationale for an accelerated transition. Cowes: EMF, 2012. V. 1.

ELLEN MACARTHUR FOUNDATION [EMF]. Uma Economia Circular no Brasil: uma abordagem exploratória inicial. [s.l.]: EMF, 2017. Disponível em: https://www.ellenmacarthurfoundation.org/assets/downloads/languages/Uma-Economia-Circular-no-Brasil_Uma-Exploracao-Inicial.pdf. Acesso em: jul. 2019.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Revista Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 79, p. 257-72, ago. 2002.

FREEMAN, R. E. Strategic Management: a stakeholder approach. Boston: Pitman, 1984.

GIRELLI, C. S. Economia Circular e Humanismo: regulação para práticas empresariais sustentáveis a partir da filosofia empresarial de Brunello Cucinelli. 2018. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS, 2018.

GUARDABASSIO, E. V. Gestão Pública de Resíduos Sólidos Urbanos na região do Grande ABC. São Paulo: Todas as Musas, 2018.

JONES, T. M. Instrumental stakeholder theory: a synthesis of ethics and economics. The Academy of Management Review, Nova York, v. 20, n. 2, p. 404-37, 1995.

LADEIRA, D. L. Teoria dos stakeholders no contexto da governança corporativa: um estudo de caso. 2009. Dissertação (Mestrado em Administração) – Fundação Mineira de Educação e Cultura, Belo Horizonte, MG, 2009.

LEGNAIOLI, Stella. Economia linear: o que é e por que é preciso mudar. eCycle, [s.l.], [s.d.]. Disponível em: https://www.ecycle.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=7073&Itemid=1222. Acesso em: 10 jun. 2019.

LEITÃO, A. Economia circular: uma nova filosofia de gestão para o séc. XXI. Portuguese Journal of Finance, Management and Accounting, Lisboa, v. 1, n. 2, p. 149-71, 2015.

MAINARDES, E. W.; ALVES, H.; RAPOSO, M.; DOMINGUES, M. J. C. S. Um novo modelo de classificação de stakeholders. In: ENCONTRO DE ESTUDOS EM ESTRATÉGIA, 5., 15-17 maio 2011, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre, 2011

MITCHELL, R. K.; AGLE, B. R.; WOOD, D. J. Toward a theory of stakeholder identification and salience: defining the principle of who and what really counts. Academy of Management Review, Nova York, v. 22, n. 4, p. 853-86, 1997.

MOLA, J. L. Hospitalidade em venda direta: um estudo de casos múltiplos sob a teoria dos stakeholders. 2013. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade) – Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, SP, 2013.

NERY, S. M.; FREIRE, A. S. A Economia Circular e o cenário no Brasil e na Europa. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO [ENEGEP], 27., 10-13 out. 2017, Joinville, SC. Anais [...]. Joinville: ENEGEP, 2017

NIDUMOLU, R.; PRAHALAD, C. K.; RANGASWAMI, M. R. Why sustainability is now the key driver of innovation. Harvard Business Review, Cambridge, v. 87, n. 9, p. 25-34, 2009.

PEREIRA, F.; MONCUNILL, M. F.; MONTEIRO, S. A. T. Projetos alinhados com os preceitos da economia circular. In: LUZ, Beatriz Visconti (Org.). Economia circular Holanda – Brasil: da teoria à prática. Rio de Janeiro: Exchange 4 Change Brasil, 2017. p. 89-95.

PORTAL DA CIRCULAR ECONOMY PORTUGAL. Modelo de transição da economia linear para a circular, 2019.

ROWLEY, T. Moving beyond dyadic ties: a network theory of stakeholder influences. Academy of Management Review, New York, v. 22, n. 4, p. 887-910, 1997.

SANCHES, R. S. Análise dos stakeholders do parque tecnológico do norte Fluminense. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, RJ, 2018.

SANTIAGO, L. S. P. Transição para a Economia Circular: possibilidades de aplicação no setor de metais. 2015. Dissertação (Mestrado Profissional em Práticas em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2015.

SARTURI, G. Distribuição de valor para o stakeholders funcionário e desempenho organizacional. 2016. Tese (Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas) – Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2016.

SCOTT, J. T. The sustainable business: a practioner’s guide to achieving long-term profitability and competitiveness. 2. ed. Sheffield: Greenleaf Publishing Limited, 2013.

SILVA, A. C.; GARCIA, R. A. M. Teoria dos Stakeholders e responsabilidade social: algumas considerações para as organizações contemporâneas. 2011. Monografia (MBA Executivo em Gestão Empresarial) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, 2011.

STAHEL, W. R. The performance economy. London: Palgrave McMillan, 2010.

SUCHMAN, M. C. Managing legitimacy: strategic and institutional approaches. Academy of Management Journal, New York, v. 20, p. 571-610, 1995.

VINCENT, J. F.; BOGATYREVA, O. A.; BOGATYREV, N. R.; BOWYER, A.; PAHL, A. K. Biomimetics: its practice and theory. Journal of the Royal Society Interface, New York, v. 3, n. 9, p. 471-82, 2006.

ZAMBON, M. M. Alternativas para a gestão dos Resíduos Orgânicos Urbanos: um estudo de caso na cidade de Florianópolis. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente) – Universidade Federal de Florianópolis, Florianópolis, SC, 2017.

Publicado
2021-07-06
Como Citar
Gonçalves, S. C., Tagliaferro, E. R., Lima, L. D. dos S. C., & Kozusny-Andreani, D. I. (2021). Economia Circular: análise e aplicabilidade nas organizações sob a perspectiva da Teoria dos Stakeholders. Multitemas, 26(62), 21-48. https://doi.org/10.20435/multi.v26i62.2722