Composição florística, fitossociologia e diversidade de uma Floresta Estacional Decidual em Cáceres, Pantanal de Mato Grosso

  • Natasha Brianez Rodrigues Universidade de Brasília (UnB)
  • Gilmar Alves Lima Júnior Instituto Federal de Rondônia
  • Reginaldo Brito da Costa Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Fernando Henrique Barbosa da Silva Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Cátia Nunes da Cunha Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Palavras-chave: fitossociologia, Pantanal, Floresta Estacional Decidual

Resumo

O objetivo deste trabalho foi caracterizar um trecho de Mata Seca no Pantanal de Mato Grosso na região de Cáceres, através da elaboração da lista florística, cálculo da fitossociologia e estudo dos padrões de diversidade da comunidade. Foram medidas todas as árvores com Circunferência a Altura do Peito (CAP) maior ou igual a 15 cm em 100 ­parcelas de 10 m², divididas em duas áreas. As áreas I e II apresentaram juntas 51 espécies, distribuídas em 38 gêneros e 22 famílias, além de 12 morfotipos. A área estudada apresentou uma baixa diversidade, provavelmente devido à alta dominância de A. phalerata, porém outros trabalhos em Mata Seca também mostram a baixa diversidade destas. A estrutura diamétrica de ambas as áreas mostra que está ocorrendo a ­regeneração das florestas e que estas estão em bom estado de conservação.

Referências

APG II. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG II. Botanical Jornal of the Linnaean Society, 141, p. 399-436, 2003.

ARIEIRA, J.; NUNES DA CUNHA, C. Fitossociologia de uma floresta inundável monodominante de Vochysia divergens Pohl. (Vochysiaceae), no Pantanal Norte, MT, Brasil. Acta Botanica Brasílica, v. 20, n. 3, p. 569-580, 2006.

CESTARO, L. A.; SOARES, J. J. Variações florística e estrutural e relações fitogeo­gráficas de um fragmento de floresta decídua no Rio Grande do Norte, Brasil. Acta Botanica Brasílica, v. 18, n. 2, p. 203-218, 2004.

CIENTEC. Mata nativa: sistema para análise fitossociológica e elaboração de plano de manejo de florestas nativas, versão 1.0. 2001.

DUARTE, T. G. Florística, fitossociologia e relações solo-vegetação em Floresta Estacional Decidual em Barão de Melgaço, Pantanal de Mato Grosso. 2007. 144 f. Tese (Doutorado em Botânica) − Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

FELFILI, J. M. Structure and dynamics of a gallery forest in Central Brazil. 1993. Tese (Doutorado) − Oxford University, Oxford.

FELFILI, J. M.; CARVALHO, F. A.; HAIDAR, R. F. Manual para monitoramento de parcelas permanentes nos biomas Cerrado e Pantanal. Brasília: Universidade de Brasília, 2005. 55 p.

JUNK, W. J.; NUNES DA CUNHA, C.; WANTZEN, K. M.; PETERMANN, P.; STRUSSMANN, C.; MARQUES, M. I.; ADIS, J. Biodiversity and its conservation in the Pantanal of Mato Grosso, Brazil. AQUAT. SCI, v. 68, p. 278-309, 2006.

KOVACH, W. L. MVSP: a Multivariate Statistical Package for windows, versão 3.1. Kovach Computing services, Pentraeth, Wales, UK, 1999. 133 p.

MAGURRAN, A. E. Ecological diversity and its measurement. New York: Chapman and Hall, 1988. 179 p.

MUELLER-DOMBOIS, D.; ELLENBERG, H. Aims and Methods of Vegetation Ecology. New York: Wiley, 1974. 547 p.

MURPHY, P. G.; LUGO, A. E. Ecology of tropical dry forest. Ann. Rev. Ecol. Syst., v. 17, p. 67-88, 1986.

NUNES DA CUNHA, C.; JUNK, W. J.; SILVEIRA, E. A. A importância da diversidade e paisagem e da diversidade arbórea para a conservação do Pantanal. In: ARAÚJO, E. L.; MOURA, A. N.; SAMPAIO, E. V. S. B.; GESTINARI, L. M. S.; CARNEIRO, J. M. T. (Org.). Biodiversidade, conservação e uso sustentável da flora do Brasil. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco;Imprensa Universitária, 2002.

PLANO DE CONSERVAÇÃO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI (Pantanal) (PCBAP). Diagnóstico dos meios físicos e bióticos. Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, 1997. 389 p. v. 2.

PEET, R. K. The measurement of species diversity. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 5, p. 285-307, 1974.

PIELOU, E. C. Ecological diversity. New York: Wiley, 1975. 165p.

POLHILL, R. M.; RAVEN, P. H. Advances in Legume Systematics. Kew: Kew Royal Botanical Gardens, 1981. v. 1.

POTT, A.; POTT, V. J. Plantas do Pantanal. Corumbá/Brasília: Embrapa-CPAP/Embrapa-SPI, 1994.

RADAMBRASIL. Levantamento de Recursos Naturais, v. 26, Folha SD.21, Cuiabá. Rio de Janeiro: Ministério das Minas e Energia, Secretaria-Geral, Projeto RadamBrasil, 1982.

RATTER, J. A.; POTT, A.; NUNES DA CUNHA, C.; HARIDASAN, M. Observations on wood vegetation types in the Pantanal and at Corumbá, Brazil. Notes Royal Botanical Garden of Edinburgh, v. 45, p. 503-525, 1988.

RATTER, J. A. Transitions between Cerrado and forest vegetation in Brazil. In: FURLEY, P. A.; PROCTOR, J.; RATTER, J. A. (Ed.). Nature and dynamics of forest savanna boundaries. London: Chapman & Hall, 1992. p. 417-429.

SALIS, S. M.; CRISPIM, S. M. A. Fitossociologia de quatro fitofisionomias arboreas no Pantanal da Nhecolandia, Corumbá, MS. In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 50. Anais... Blumenau: Sociedade Botânica do Brasil, 1999. p. 239.

SALIS, S. M.; POTT, V. J. Fitossociologia de formações arbóreas na Bacia do Alto Paraguai. In: ENCONTRO DE BOTÂNICOS DO CENTRO OESTE, 3.; SEMINÁRIO DE ESTUDOS BIOLÓGICOS, 20. Anais... Cuiabá, 1995. p. 34.

SALIS, S. M.; SILVA, M. P.; MATTOS, P. P.; SILVA, J. S. V.; POTT, V. J.; POTT, A. Fitossociologia de remanescentes de floresta estacional decidual em Corumbá, Estado do Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista Brasil. Bot., v. 27, n. 4, p. 671-684, 2004

SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P.; RIBEIRO, J. F. Cerrado: ecologia e flora. Brasília: Embrapa Cerrados, 2008.

SILVA, M. P.; POTT, V. J.; PONZONI, F. J.; POTT, A. Fitossociologia e estrutura de cerradão e mata semedecídua do Pantanal da Nhecolândia, MS. In: SIMPÓSIO SOBRE RECURSOS NATURAIS E SÓCIO-ECONÔMICOS DO PANTANAL: OS ­DESAFIOS DO NOVO MILÊNIO, 3. Anais... Corumbá, 2000.

SILVA, M. P.; POTT, V. J.; PONZONI, F.; POTT, A. Analise fitossociológica e estrutural de cerradão e mata semidecídua do Pantanal da Nhecolândia. In: CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL, 2. Anais... Londrina: Sociedade de Ecologia do Brasil, 1994. p. 502.

VAST. VASCULAR TROPICOS. Nomenclatural database and associated authority files of Missouri Botanical Garden, 2007. Disponível em: <http://www.mobot.org>. Acesso em: jul. 2009.

Publicado
2015-12-16
Seção
Artigos