Diretor: educador-dirigente

  • Delarim Martins Gomes
Palavras-chave: diretor, educador, dirigente.

Resumo

Por meio do questionamento do exercício do poder da escola, coloca-se em cheque a democracia nominalista da escola e sugere-se que o termo democracia seja substituído por participação, que pode oportunizara democratização de poder ad intra e ad extra na escola. Traça-se, então,um perfil do Diretor necessário à escola participativa, qualificando-o como um educador que “dirige” educadores.

Referências

BRUNO, L. Relação de trabalho e teorias administrativas. A autonomia e a qualidade do Ensino na escola pública. São Paulo: FDE. 1995. p. 125-39. (Série Idéias, 16).

DE LA TAILLE, Y. Ética. Palestra proferida no I Simpósio Nacional de Educação das séries iniciais. Santos, 3 a 5 de março de 1998. (anotações)

FUSARI, C. A formação continuada de professores no cotidiano da escola fundamental. O papel do Diretor e a escola de 1º grau. São Paulo: FDE. 1996. p. 25-38. (Série Idéias, 12)

GHANEM, E. Participação popular na gestão escolar: três casos de políticas de democratização. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 3, p. 31-63, set./nov. 1996.

GOMES, V. Relações família e escola – continuidade/descontinuidade no processo educativo. A autonomia e a qualidade do ensino na escola. São Paulo: FDE. 1995. p. 84-96. (Série Idéias, 16)

GUIMARÃES, C.; MARIN, G. Projeto Pedagógico: considerações necessárias à sua construção. Revista. Presidente Prudente: FCT/UNESP, n. 4, p. 35-47, 1998.

LIMA, S. A escola e seu diretor: algumas refl exões. O papel do Diretor e a escola de 1º grau. (Série Idéias, 12). São Paulo: FDE, 1996. p. 117-124.

MAKARENKO, A. Poema pedagógico. Lisboa: Livros Horizonte, 1980. 3 vol.

NOGUEIRA, M. Diretor dirigente: a construção de um projeto pedagógico na escola pública. O papel do Diretor e a escola de 1º grau. São Paulo: FDE, 1996. p. 57-68. (Série Idéias, 12).

OLIVEIRA, R. A organização do trabalho como fundamento da administração escolar: uma contribuição ao debate sobre a gestão democrática da escola. A autonomia e a qualidade do ensino na escola pública. São Paulo: FDE, 1995. p. 114-23. (Série Idéias, 16).

PARO, V. Participação da comunidade na gestão democrática da escola. O papel do Diretor e a escola de 1º grau. São Paulo: FDE, 1996. p. 39-47. (Série Idéias, 12).

PIMENTA, S. Questão sobre a organização do trabalho na escola. A autonomia e a qualidade do ensino na escola pública. São Paulo: FDE, 1995. p. 78-83. (Série Idéias, 16).

QUAGLIO, P. Administração, supervisão, organização e funcionamento da educação brasileira. In: MACHADO, L. (coord.). Administração e supervisão escolar: questões para o novo milênio. São Paulo: Pioneira, 2000, p. 49-58.

SEVERINO, A. O diretor e o cotidiano da escola. O papel do Diretor e a escola de 1º grau. São Paulo: FDE, 1996. p. 79-89. (Série Idéias, 12). SINGER, H. República de crianças. São Paulo: Hucitec, 1998.

VALE, José Mizael F. Do. Administração Educacional e Escolar. A autonomia e a qualidade do ensino na escola pública. São Paulo: FDE, 1995. p. 107-13. (Série Idéias, 16).

WOOD JR., T. Fordismo, toyotismo e volvismo: os caminhos da indústria em busca do tempo perdido. In: Revista de Administração de Empresas, São Paulo, n. 32, p. 6-18, set./out. 1992.

Publicado
2016-05-11
Seção
Artigos