Biodiversidade e conservação de recursos genéticos de espécies arbóreas

  • Nathalia Pereira Ribeiro Universidade Católica Dom Bosco
  • Cristiane Camargo Sanches
  • Michel Ângelo Constantino Oliveira
  • Reginaldo Brito Costa
Palavras-chave: diversidade genética, fragmentação florestal, conservação de germoplasmas.

Resumo

A exploração intensa e seletiva de madeira, mudanças no uso da terra pelo agronegócio e ocupação urbana são os principais fatores responsáveis pela perda na diversidade de espécies arbóreas. Junto com o agravamento do processo de degradação ambiental e esgotamento dos recursos naturais disponíveis no planeta, nota-se um substancial crescimento da preocupação com os danos ambientais causados na reprodução e diversidade genética das espécies arbóreas. Com essa constatação, tornou-se fundamental conservar a variabilidade das espécies utilizando-se bancos de germoplasmas. Nesse contexto, a presente revisão objetivou reunir informações sobre a biodiversidade e o ambiente para a conservação de espécies arbóreas nativas. Demonstra-se que especialmente aqueles métodos em que se utilizam os bancos de germoplasmas in situ ou ex situ contribuem e garantem a preservação das espécies, mantendo ampla diversidade e variabilidade genética das populações arbóreas.

Referências

ARAÚJO, M. A. R. Unidades de conservação no Brasil: da república à gestão de classe mundial. Belo Horizonte: SEGRAC, 2007.

BRASIL. Lei 9.985 de 18 de julho 2000. Regulamenta o art. 225, § 1º, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9985.htm>. Acesso em: 28 set. 2015.

CAVALCANTI, R. B. Estratégias de conservação em nível regional: priorização de áreas e corredores de biodiversidade. In: ROCHA, C. F. D.; BERGALLO, H. G.; SLUYS, M. Van; ALVES, M. A. S (Org.). Biologia da conservação: essências. São Carlos, SP: Rima, 2006. p. 343-356.

COSTA, R. B.; SCARIOT, A. A fragmentação florestal e os recursos genéticos. In: COSTA, R. B. (Org.). Fragmentação florestal e alternativas de desenvolvimento rural na Região Centro-Oeste. Campo Grande, MS: UCDB, 2003. p. 53-74.

COSTA, R. B. et al. Fragmentação florestal e reprodução de espécies arbóreas. In: PASA, M. C. (Org.). Múltiplos olhares sobre a biodiversidade. Cuiabá, MT: Carlini & Caniato Editorial, 2015. p. 9-31.

CARVALHO, P. E. R. Pinheiro do Paraná. Circular técnica, Colombo, PR, n. 60, 2002. 17p.

CERQUEIRA, R.; BRANT, A,; NASCIMENTO, M. T.; PARDINI, R. Fragmentação: alguns conceitos. In: RAMBALDI, D. M.; OLIVEIRA, D. A. S. (Org.). Fragmentação de ecossistemas: causas, efeitos sobre a biodiversidade e recomendações de políticas públicas. Brasília: MMA/SBF, 2003. p. 23-40.

DAVIDE, A. C.; CARVALHO, L. R.; CARVALHO, M. L. M.; GUIMARÃES, R. M. Classificação fisiológica de sementes de espécies florestais pertencentes à família Lauraceae quanto à capacidade de armazenamento. Cerne, Lavras, MG, v. 9, n. 1, p.29-35, 2003.

ECOSYSTEMS and human well-being: a report of the conceptual framework working group of the millennium ecosystem assessment. Washington, USA: Island Press, 2003. 266 p.

FERNANDEZ, J.; GONZALEZ-MARTINEZ, E. S. C. Allocating individuals to avoid inbreeding inex situ conservation plantations: so far, so good. Conservation Genetics, v. 10, n. 1, p. 45-57, 2009.

FERREIRA, F. R. Germplasm of fruit crops. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 33, n. 1, p. 1-6, out. 2011.

FREITAS, M. L. M.; AUKAR, A. P. A.; SEBBENN, A. M.; MORAES, M. L. T.; LEMOS, E. G. M. Variabilidade genética intrapopulacional em Myracrodruon urundeuva Fr. All.Por marcador AFLP. Scientia Forestalis, Piracicaba, SP, n. 68, p. 21-28, 2005.

GANEM, R. S. (Org.). Conservação da biodiversidade: legislação e políticas públicas. Série memória e análise de leis. Brasília: Câmara dos Deputados, 2011. 434p.

GANEN, R. S.; DRUMMOND, J.A. Biologia da conservação: as bases científicas da proteção da biodiversidade. In: GANEM, R. S. (Org.). Conservação da biodiversidade: legislação e políticas públicas. Série memória e análise de leis. Brasília: Câmara dos Deputados, 2011. p. 11-46. Disponível em: <http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/708/1/conservacao_biodiversidade.pdf>. Acesso em: 24 set. 2015.

HERO, J. M.; RIDGWAY, T. Declínio global de espécies. In: ROCHA, C. F. D.; BERGALLO, H. G.; SLUYS, M. V.; ALVES, M. A. S. (Org.). Biologia da conservação: essências. São Carlos, SP: Rima, 2006. p. 53-90.

KAGEYAMA, P. Y.; OLIVEIRA, R. E.; MORAES, L. F. D. Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu, SP: Fepaf, 2003. 304p.

LEUZINGER, M. D. Acesso ao patrimônio genético brasileiro e aos conhecimentos tradicionais associados. In: GANEM, R. S. (Org.). Conservação da biodiversidade: legislação e políticas públicas. Série memória e análise de leis. Brasília: Câmara dos Deputados, 2011. p. 309-340. Disponível em: <http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/708/1/conservacao_biodiversidade.pdf>. Acesso em: 28 set. 2015.

METZGER, J. P. Tree functional group richness and landscape structure in a Brazilian tropical fragmented landscape. Ecological Applications, v. 10, n. 6, p. 1147-1161, dez. 2000.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). A Convenção sobre a diversidade biológica. 2000. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_dpg/_arquivos/cdbport.pdf>. Acesso em: 28 set. 2015.

______. Fragmentação de ecossistemas. Causas, efeitos sobre a diversidade e recomendação de políticas publicas. Brasília, 2003, 100p.

MATSUMOTO, K.; CARDOSO, L. D.; SANTOS, I. R. I. Manual de curadores de germoplasma vegetal: conservação in vitro - Documentos 318. Brasília: EMBRAPA, jun. 2010. 12p.

MAZZAROLO, L. A. Conceitos básicos de sistemática filogenética. Salvador: UFBA, 2005. 24p. Apostila do Curso de Ciências Biológicas do Instituto de Biologia, Departamento de Zoologia, Museu de Zoologia.

NASCIMENTO, J. P. B.; VIEIRA, D. C. M.; MEIADO, M. V. Ex situ seed conservation of Brazilian Cacti. Revista Gaia Scientia, João Pessoa, PB, v. 9 n.2, p. 111-116, 2015.

ODUM, E. P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988. 434p.

PINTO, S. I. C.; SOUZA, A. M.; CARVALHO, D. Variabilidade genética por isoenzimas em populações de Copaifera langsdorffi Desf. Em dois fragmentos de mata ciliar. Scientia Forestalis. Piracicaba, SP, n. 65, p. 40-48, jun. 2004.

POMPELLI, M. F.; GUERRA, M. P. Ex situ conservation of Dyckiadistachya: an endangered bromeliad from South Brazil. Brazilian Society of Plant Breeding, v. 4, p. 273-279, 2004.

RIBEIRO, M. A. Aspectos éticos e políticos da atual crise de biodiversidade. In: GANEM, R. S. (Org.). Conservação da biodiversidade: legislação e políticas públicas. Série memória e análise de leis. Brasília: Câmara dos Deputados, 2011.

SANTOS, F. R.; LACERDA, D. R.; REDONDO, R. A. F.; NASCIMENTO, A. M. A.; CHARTONE-SOUZA, E.; BORBA, E. L.; RIBEIRO, R. A.; LOVATO, M. B. Diversidade Genética. Biota Vida, p. 389-410, 2015. Disponível em: <http://labs.icb.ufmg.br/lbem/pdf/santos09biotaminas-divgen.pdf>. Acesso em: 13 nov. 2015.

SCARIOT, A. Panorama da biodiversidade brasileira. In: GANEM, R. S. (Org.). Conservação da biodiversidade: legislação e políticas públicas. Série memória e análise de leis. Brasília: Câmara dos Deputados, 2011. p. 111-130. Disponível em: <http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/708/1/conservacao_biodiversidade.pdf>. Acesso em: 28 de set. 2015.

SEBBENN, A. M.; ETTORI, L. C. Conservação genética ex situ de Esenbeckia leiocarpa, Myracrodruon urundeuva e Peltophorumdubium em teste de progênies misto. Revista do Instituto Florestal, v. 22, n. 13, p. 201-211, 2001.

SEBBENN, A. M. Tamanho amostral para conservação ex situ de espécies arbóreas com sistema misto de reprodução. Revista do Instituto Florestal, v. 15, p. 109-124, 2003.

SHIMIZU, J. Y.; JAEGER, P.; SOPCHAKI, S. A. Variabilidade genética em uma população remanescente de araucária no Parque Nacional do Iguaçu, Brasil. Bol. Pesq. Florestal, v. 9, p. 18-36, 2000.

VIANA, V. M.; PINHEIRO, L. A. F. V. Conservação da biodiversidade em fragmentos florestais. Série Técnica, IPEF, v. 12, n. 32, p. 25-42, dez. 1998.

VIEIRA, R.F. Conservation of medicinal and aromatic plants in Brazil. In: JANICK, J. (Ed.). Perspectives on new crops and new uses. Alexandria: ASHS Press, 1999. p.152-159.

WEHAB. Working Group. A framework for action on biodiversity and ecosystem management. World Summit on Sustainable Development. Joanesburgo: WEHAB Working Group, 2002. 36p. Disponível em: <http://www.un.org/jsummit/html/documents/summit_docs/wehab_papers/wehab_biodiversity.pdf>. Acesso em: 28 set. 2015.

Publicado
2016-06-17