Diversidade de insetos e aranhas presentes em diferentes fisionomias no Pantanal, na seca e cheia, Corumbá, MS

  • Adriano Schulz Lopes Universidade Católica Dom Bosco, UCDB
  • Suellen Soares Universidade Católica Dom Bosco
  • Elizabete Maria da silva Universidade Católica Dom Bosco-UCDB
  • Antonia Railda Roel Universidade Católica Dom Bosco, UCDB
Palavras-chave: diversidade de insetos, planície inundável, riqueza de insetos.

Resumo

Objetivou-se inventariar as Ordens de insetos em diferentes fisionomias no Pantanal, Corumbá, MS, durante dois meses, em período de seca e cheia. Foram comparadas quatro áreas, Mata ciliar, Paratudal, Espinheiral e Canjiqueiral. As coletas foram obtidas de armadilhas de Malaise, e os insetos capturados foram acondicionados em frascos e preservados em álcool 96%, e identificados até ordem e morfoespécies. Foram capturados 13.883 exemplares pertencentes a seis Ordens. Na Mata ciliar foram capturados 580 indivíduos, no Paratudal 6.696 indivíduos, no Espinheiral 3.052 e no Canjiqueiral 3.515 indivíduos, pertencentes ao período de seca e cheia, em abril e maio de 2013. Foi possível demonstrar a abundância e riqueza de Ordens de insetos presentes nessas fisionomias e a eficiência da armadilha de Malaise em coletar insetos nas fisionomias do Pantanal. Há abundância e diversidade de insetos e aranhas no Pantanal na seca e na cheia.

Biografia do Autor

Adriano Schulz Lopes, Universidade Católica Dom Bosco, UCDB
Graduando em Agronomia, Universidade Católica Dom Bosco
Suellen Soares, Universidade Católica Dom Bosco
Mestrado em Biotecnologia, Universidade Católica Dom Bosco
Elizabete Maria da silva, Universidade Católica Dom Bosco-UCDB
Doutorado em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária, Universidade Católica Dom Bosco
Antonia Railda Roel, Universidade Católica Dom Bosco, UCDB
Eng. Agrônoma – Entomologista. Professora do Programa de pós-graduação, Mestrado e Doutorado acadêmico em Ciências Ambientais e Sustentabilidade Agropecuária-UCDB

Referências

ADÁMOLI, J. O Pantanal e suas relações fitogeográficas com os cerrados: discussão sobre o conceito de complexo do Pantanal. In: CONGRESSO NACIONAL DA SOCIEDADE BOTÂNICA DO BRASIL, 32. Anais... Teresina: Universidade Federal do Piauí, 1982.

ALFONSI, R. R; CAMARGO, M. D. Condições climáticas para a região do Pantanal Mato-grossense. In: SIMPÓSIO SOBRE RECURSOS NATURAIS E SÓCIO-ECONÔMICOS DO PANTANAL, 1. Anais… Brasília: EMBRAPA/CPAP, 1986. p. 29-42.

ALLABY, M. The Concise Oxford dictionary of botany. Oxford: Oxford University Press, 1992. 442p.

ALMEIDA, S. D. et al. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina, DF: Embrapa-CPAC, 1998. 464 p.

ALMEIDA, N. D. P. Segmentação do turismo no pantanal sul-mato-grossense. 2002. 135 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) - Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande, MS, 2002.

AMADOR, G. D. A. Composição florística e caracterização estrutural de duas áreas de carandazais nas sub-regiões do Miranda e Nabileque, Pantanal sul-mato-grossense, Brasil. 2006. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2006.

AOKI, C. et al. Diversidade de abelhas (Hymenoptera: Apoidea) e recursos florais na RPPN Engenheiro Eliezer Batista, Pantanal de Mato Grosso do Sul. In: RABELO, A. et al. (Org.). Descobrindo o paraíso: aspectos biológicos da Reserva Particular do Patrimônio Natural Engenheiro Eliezer Batista. Rio de Janeiro: Instituto Homem Pantaneiro, 2012. p. 84-110.

BELLO, A. M. de; AOKI, C.; VIEIRA, L. Besouros (Coleoptera) da Reserva Particular do Patrimônio Natural Engenheiro Eliezer Batista. In: RABELO, A. et al. (Org.). Descobrindo o paraíso: aspectos biológicos da Reserva Particular do Patrimônio Natural Engenheiro Eliezer Batista. Rio de Janeiro: Instituto Homem Pantaneiro, 2012. p. 132-151.

BRASIL. Ministério do Interior. Estudos de desenvolvimento integrado da Bacia do Alto Paraguai (EDIBAP): Relatório da 1ª fase. Descrição física e recursos naturais. Brasília, t. 2, 1972. 235p.

BRENER, A. G. F.; SILVA, J. F. Leaf-cutting ants and forest groves in a tropical parkland savanna of Venezuela: facilitated succession? Journal of Tropical Ecology, v. 11, n. 4, p. 651-669, 1995.

BROWN, K. S. Insetos como rápidos e sensíveis indicadores de uso sustentável de recursos naturais. In: MARTOS, H. L.; MAIA, N. B. (Ed.). Indicadores ambientais. Sorocaba, SP: PUC/Shell Brasil, 1997. p. 143-151.

CARVALHO, C. D. et al. Diptera. In: RAFAEL, J. A. (Ed.). Insetos do Brasil: diversidade e taxonomia. Ribeirão Preto, SP: Holos, 2012. p. 701-743.

CASTELNOU, A. M. N. et al. Sustentabilidade socioambiental e diálogo de saberes: o Pantanal mato-grossense e seu espaço vernáculo como referência. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, PR, n. 7, p. 41-67, jan./jun. 2003.

COUTINHO, L. M. Aspectos ecológicos da saúva no cerrado. A saúva, as queimadas e sua possível relação na ciclagem de nutrientes minerais. Boletim de Zoologia da Universidade de São Paulo, v. 8, n. 1, p. 1-9, 1984.

CROZIER, R. H. Evolutionary genetics of the Hymenoptera. Annual Review of Entomology, v. 22, n. 1, p. 263-288, 1997.

DALLING, J. W.; WIRTH, R. Dispersal of Miconia argentea seeds by the leaf-cutting ant Atta colombica. Journal of Tropical Ecology, v. 14, n. 5, p. 705-710, 1998.

DEMÉTRIO, M. F.; SILVESTRE, R.; AOKI, C. Formigas (Hymenoptera: Formicidae) da Reserva Particular do Patrimônio Natural Engenheiro Eliezer Batista, Descobrindo o Paraíso Aspectos Biológicos da Reserva Particular do Patrimônio Natural. Rio de Janeiro: Instituto Homem Pantaneiro, 2012. 182p.

DIDHAM, R. K. Dipteran tree-crown assemblages in a diverse southern temperate rain forest. In: STORK, N. E.; ADIS, J.; DIDHAM, R.K. (Ed.). Canopy arthropods. London: Chapman & Hall, 1997. p. 320-343.

DUTRA, R. R.; MARINONI, R. C. Insetos capturados com armadilha Malaise na Ilha do Mel, Baía de Paranaguá, Paraná, Brasil. I Composição de Ordens. Revista Brasileira de Zoologia, v. 11, n. 2, p. 227-245, 1994.

GALLO, D. et al. Entomologia agrícola. Piracicaba, SP: FEALQ, 2002. 920p.

GARLET, J.; ROMAN, M.; COSTA, E. C. Levantamento da entomofauna de copa associada a diferentes espécies florestais. In: CONGRESSO REGIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EM ENGENHARIA (CRICTE), 21. Anais… Ijuí, RS: UNIJUÍ, 2006.

GAULD, I. D.; BOLTON, B. (Ed.). The Hymenoptera. Oxford: Oxford University Press and The Natural History Museum, 1988. 332p.

LEAL, I. R. Dispersão de sementes por formigas na caatinga. In: LEAL, I. R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. da (Ed.). Ecologia e conservação da caatinga. Recife, PE: Editora da UFPE, 2003. p. 593-624.

LEAL, I. R.; OLIVEIRA, P. S. Interactions between Fungus‐Growing Ants (Attini), Fruits and Seeds in Cerrado Vegetation in Southeast Brazil1. Biotropica, v. 30, n. 2, p. 170-178, 1998.

LEVEY, D. J.; BYRNE, M. M. Complex ant-plant interactions: rain-forest ants as secondary dispersers and post-dispersal seed predators. Ecology, v. 74, n. 6, p. 1802-1812, set. 1993.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa, SP: Plantarum, 1992. 352p.

MCGEOCH, M. A. The selection, testing and application of terrestrial insects as bioindicators. Biological Reviews of the Cambridge Philosophical Society, v. 73, n. 2, p. 181-201, 1998.

MOUTINHO, P. R. et al. Formigas e floresta: estudo para a recuperação de áreas de pastagem. Ciência Hoje, n. 15, p. 59-60, 1993.

OBER, H. K.; HAYES, J. P. Influence of forest riparian vegetation on abundance and biomass of nocturnal flying insects. Forest Ecology and Management, v. 256, n. 5, p. 1124-1132, 2008.

OLIVEIRA, A. K. M.; SCHELEDER, L. J. D.; FAVERO, S. Caracterização morfológica, viabilidade e vigor de sementes de Tabebuia chrysotricha (Mart. ex. DC.) Standl. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 32, n. 6, p. 1011-1018, nov./dez. 2008.

OLIVEIRA, C. M.; MORÓN, M. A.; FRIZZAS, M. R. Aegopsis bolboceridus (Coleoptera: Melolonthidae): an important pest on vegetables and corn in Central Brazil. Florida Entomologist, v. 91, n. 2, p. 324-327, 2008.

PIMENTA, A. Bioindicadores em Ecossistemas. 2008. Disponível em: <http://www.herbario.com.br/dataherb06/1112bioindicad.htm>. Acesso em: fev. 2014.

POTT, A.; POTT, V. (Org.). Plantas do Pantanal. Corumbá, MS: EMBRAPA/SPI, 1994. 320p.

PULZ, C. E. et al. Insetos - a importância do equilíbrio em um pomar cítrico – coleção didática do museu prof. Ramiro Gomes Costa. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 2, n. 1, p. 741-744, fev. 2007

SANTOS, G. P. et al. Foraging of Parachartergus fraternus (Hymenoptera: Vespidae: Epiponini) on cloudy and sunny days. Sociobiology, v. 53, n. 2, p. 431, 2009.

SANTOS, S. A. et al. Cheia e seca no Pantanal: importância do manejo adaptativo das fazendas. ADM - Artigo de Divulgação na Mídia, Embrapa Pantanal, Corumbá, MS, n. 120, p. 1-3, out. 2007. Disponível em: <http://www.cpap.embrapa.br/publicacoes/online/ADM120.pdf>.

SILVA, R. C. Estudo do balanço de radiação no Pantanal sul matogrossense. 2003. Dissertação (Mestrado em Meteorologia) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), São José dos Campos, SP, 2003.

SILVA, M. S.; FONTENELLE, J. C.; MARTINS, R. P. Por que moscas visitam flores. Ciência Hoje, v. 30, n. 175, p. 68-71, 2000.

SILVEIRA NETO, S. et al. Manual de Ecologia dos insetos. São Paulo: Agronômica Ceres, 1976. 419p.

SOARES, J. J.; OLIVEIRA, A. K. M. D. The "paratudal" at the Pantanal de Miranda-Corumbá-MS, Brazil. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 33, n. 2, p. 339-347, mar./abr. 2009.

SOUZA, L. G. Bacia do Paraguai: geografia e história. Brasília: Departamento de Documentação e Divulgação, 1978.

SOUZA-SILVA, M. et al. Ecology, behavior and bionomics. Seasonal abundance and species composition of flower-visiting flies. Neotropical Entomology, Londrina, PR, v. 30, n. 3, p. 351-359, set. 2001 .

THOMAZINI, M. J.; THOMAZINI, A. D. B. Levantamento de insetos e análise entomofaunística em floresta, capoeira e pastagem no sudeste acreano. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, Rio Branco, AC, n. 35, set. 2002.

WIRTH, R. et al. Herbivory of leaf-cutting ants: a case study on Atta colombica in the Tropical Rainforest of Panama. Ecological Studies, n. 164, 2003. 230p.

Publicado
2017-05-16