Plantas consumidas por morcegos na Lagoa da Cruz, Campo Grande, MS

  • Carla Cristina Cerezoli de Jesus Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande, MS
  • Jaire Marinho Torres Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande, MS
  • Elaine Aparecida Carvalho dos Anjos Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Campo Grande, MS
Palavras-chave: dispersão, fenologia, frugivoria.

Resumo

Diversas espécies de plantas usam animais para dispersar suas sementes e pólen, gerando uma relação mutualística entre essas espécies vegetais e animais. Este trabalho teve como objetivo o levantamento florístico preliminar e identificação de espécies potencialmente consumidas por morcegos. As amostragens foram realizadas em seis pontos de coleta, quinzenalmente, entre abril e maio de 2013. Foram analisadas cinco parcelas de 10x10m em cada ponto, totalizando 30 parcelas abrangendo 3.000 m2. Identificamos 18 espécies com flores ou frutos que eram potenciais fontes de alimento para morcegos, como Calophyllum brasiliense, Ficus obtusifolia, Piper arboreum e Solanum grandiflorum. Essas espécies são representantes de gêneros conhecidos como fonte de alimentos de quirópteros, sendo possível a ocorrência de outras espécies desses gêneros potenciais ao uso pelos morcegos da região.

Referências

ALMEIDA-CORTEZ, J. S. Dispersão e banco de sementes. In: FERREIRA, A. G.; BORGHETTI, F. (Ed.). Germinação: do aplicado ao básico. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BIZERRIL, M. X. A.; RAW, A. Feeding behaviour of bats and the dispersal of Piper arboreum seeds in Brazil. Journal of Tropical Ecology, Cambridge, 14, p. 109-114, 1998.

CHASE, M. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG II. Botanical Journal of the Linnean Society, London, 141, p. 399-436, 2003.

BOURLEGAT, C. A. A fragmentação da vegetação natural e o paradigma do desenvolvimento rural. In: COSTA, R. B. (Org.). Fragmentação Florestal e alternativas de desenvolvimento rural na Região Centro-Oeste. Campo Grande, MS: UCDB, 2003.

CERQUEIRA, R.; BRANT, A.; NASCIMENTO, M., T.; PARDINI, R. Fragmentação: alguns conceitos. In: RAMBALDI, D. M.; OLIVEIRA, D. A. S. de (Org.). Fragmentação de ecossistemas: causas, efeitos sobre a biodiversidade e recomendações de políticas públicas. Brasília: MMA/SBF, 2003.

FABIÁN, M. E.; RUI, A. M.; WAETCHER, J. L. Plantas utilizadas como alimento por morcegos (Chiroptera, Phyllostomida) no Brasil. Ecologia de morcegos. REIS, N. R.; PERACCHI, A.L.; SANTOS, G. A. S. D. (Ed.). Londrina: Technical Books editora, 2008.

FERNANDES, G.A. Fenologia de frutificação e dispersão por morcegos em mata semidecídua em mesorregião do Pantanal, Brasil. 2009. 71p. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2009.

FLEMING, T. H.; HEITHAUS, E. R. Frugivorous bats, seed shadows, and the structure of tropical forests. Biotropica, Lawrence, 13 (Suppl.), p. 45-53, 1981.

FLEMING, T. H. Coexistence of five sympatric Piper (Piperaceae) species in a tropical dry forest. Ecology, Duhran, v. 66, n. 3, p. 688-700, 1985.

FOURNIER, L. A.; CHARPANTIER, C. El tamanõ de la muestra y la frecuencia de las observaciones em el estudio de las características fenológicas de los arboles tropicales. Turrialba, Costa Rica, v. 25, n. 1, p. 45-48, 1975.

HOWE, H. F. Implications of seed dispersal by animals for tropical reserve management. Biol. Conserv., v. 30, p. 261-282, 1986.

KALKO, E. K. V. Diversity in tropical bats. In: ULRICH, H. (Ed.). Tropical diversity and systematics. Proceedings oh the International Symposium of Biodiverstity and Systematics in Tropical Ecossystems, Bonn, 1994. Bonn: Zoologiches Forschungsinstitut und Museum Alexander Koenig, 1997.

MENDONÇA, F.; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: Noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de textos, 2007.

MIKICH, S. B. A dieta dos morcegos frugívoros (Mammalia, Chiroptera, Phyllostomidae) de um pequeno remanescente de Floresta Estacional Semidecidual do sul do Brasil. Rev. Bras. Zool. Curitiba, v. 19, n. 1, p. 239-249, 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbzool/v19n1/v19n1a23.pdf>. Acesso em: 12 ago. 2013.

MORELLATO, L. P. C.; LEITÃO-FILHO, H. F. Padrões de frutificação e dispersão na Serra do Japi. In: MORELLATO, L. P. C. (Org.). História natural da Serra do Japi: ecologia e preservação de uma área florestal no Sudeste do Brasil. Campinas: Editora da Unicamp/FAPESP, 1992.

PERES, C. A. Composition, density and fruiting phenology of arborescent palms in Amazonian terra firme Forest. Biotropica, Lawrence , 26, p. 285-294, 1994.

RIBEIRO, J. E. L. S.; HOPKINS, M. J. G.; VICENTINI, A.; SOTHERS, C. A.; COSTA, M. A. S.; BRITO, J. M.; SOUZA, M. A. D.; MARTINS, L. H.; LOHMANN, L. G.; ASSUNÇÃO, P. A. C. L.; PEREIRA, E. C.; SILVA, C. F.; MESQUITA, M. R.; PROCÓPIO, L. C. Flora da Reserva Ducke: guia de identificação das plantas vasculares de uma floresta de terra firme na Amazônia Central. Manaus: INPA, DFID, 1999.

SATO, T. M.; PASSOS, F. C.; NOGUEIRA, A. C. Frugivoria de morcegos (Mammalia, Chiroptera) em Cecropia pachystachya (Urticaceae) e seus efeitos na germinação das sementes. Papéis Avulsos de Zoologia, São Paulo, v. 48, n. 19-26, 2008.

SCARPA, F. M. Crescimento inicial de espécies pioneiras e não pioneiras das florestas semidecíduas do estado de São Paulo. 2002. 73f. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2002.

SILVA, W. R. A importância das interações animal-planta nos processos de restauração. In: KAGEYAMA, P. Y.; OLIVEIRA, R. E.; MORAES, L. F.; ANGEL, V. L.; GANDARA, F. B. (Org.). Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu: FEPAF, 2008.

TAVOLONI, P. Diversidade e frugivoria de morcegos filostomídeos Chiroptera, Phyllostomidae em habitats secundários e plantios de Pinus spp., no município de Anhembi – SP. Biota Neotrop. (online), Campinas, v. 6, n. 2, 2006. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1676-06032006000200036>. Acesso em: 12 ago. 2013.

UIEDA, W.; J. VASCONCELLOS-NETO. Dispersão de Solanum spp. (Solanaceae) por morcegos, na região de Manaus, AM, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, Curitiba, v. 2, n. 7, p. 449-458, 1984.

VAN DER PIJL, L. The dispersal of plants by bats (Chiropterochory). Acta Bot. Neerland, 6, p. 291-315, 1957.

WHITTAKER, R. J.; JONES, S. H. The role of frugivorous bats and birds in the rebuilding of a tropical forest ecosystem, Krakatau, Indonesia. J. Biogeogr., 21, p. 689-702, 1994.

Publicado
2015-12-14
Seção
Artigos