O novo papel do Museu na sociedade

  • Kwok Chiu Cheung
Palavras-chave: educação espaços informais patrimônio cultural

Resumo

A crescente percepção, por parte do público,do papel de lazer, de contemplaçãoe de diversão que os museus possuem,fortalece a idéia de que esses ambientesdevem ser utilizados como espaçoeducacional. O papel do museu diante dasociedade sugere uma nova organizaçãodo nosso modo de ver o mundo atravésde novas propostas museológicas e tecnologiasde informação, condicionandonossa relação com o presente e tambémcom vínculos do passado. Os museus desempenhamum papel importante no queconcerne quer à criação de consciênciaspessoais, quer no que diz respeito à construçãoe representação de identidadeslocais, regionais ou nacionais, em virtudedo seu posicionamento como instrumentospedagógicos e ideológicos. Assim,funcionam como espaços sociais quepossuem histórias, linguagens, propostaseducativas e pedagógicas próprias, sendocapazes de revelar intensas e profundasrelações entre a sociedade e a cultura.

Referências

ANICO, M. A pós-modernização da cultura: patrimônio e museus na contemporaneidade. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 11, n.23, p.71-86, 2005.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BITTENCORT, J.N. Museu Paraense Emílio Goeldi: uma instituição científica em um museu. In: Musas – Revista Brasileira de Museus e Museologia, Rio de Janeiro: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Departamento de Museus e Centros, n.2, 2006.

CAZELLI, S.; MARANDINO, M.; STUDART, D. Educação e comunicação em museus de ciência: aspectos históricos, pesquisa e prática, 1999. In: GOUVÊA, G.; MARANDINO, M.; LEAL, M.C. (Orgs.). Educação e Museu: a construção social do caráter educativo dos museus de ciência. Rio de Janeiro: Acesse FAPERJ, 2003, p.83-106. CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica: del saber sábio al saber ensenado. Buenos Aires: Aique, 1998.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade/UNESP, 2001.

CURY, Marília Xavier. Comunicação e pesquisa de recepção: uma perspectiva teórico-metodológica para os museus. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, v.12 (suplemento), p.365-80, 2005.

______. Exposição: concepção, montagem e avaliação. São Paulo: Annablume 2006.

LEITE, M.I. Crianças, velhos e museus: memória e descoberta. Cad. Cedes, Campinas, v.26, n.68, p.74-85, jan./abr. 2006.

GASPAR, A. Museus e centros de ciências - conceituação e proposta de um referencial teórico. 1993. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

GLEZER, R. Comentário X. In: MENESES, U.T.B. Do teatro da memória ao laboratório de história: exposição museológica ao conhecimento histórico. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v.3, Nova Série, 1995.

GUIMARÃES, M.; VASCONCELOS, M.M.N. Relações entre educação ambiental e educação em ciências na complementaridade dos espaços formais e não formais de educação. Educar, Curitiba, n.27, p.147-162, 2006.

HOOPER-GREENHILL, E. Education, communication and interpretation: towards a critical pedagogy in museums. In: The Educational role of The Museum. Routledge, London, p.3-25, 1994.

MARANDINO, M. A pesquisa educacional e a produção de saberes nos museus de ciência. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, v.12, p.161-81, 2005a.

______. Museus de Ciência como espaços de educação. In: FIGUEIREDO, B.G.; VIDAL, D.G. (orgs.). Museus – dos gabinetes de curiosidades à museologia moderna. Brasília-DF: Argumentum, 2005b. p.165-176.

______. Interfaces na relação Museu-Escola. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v.18, n.1, p.85-100, 2001.

______. Transposição ou recontextualização? Sobre a produção de saberes na educação em museus de ciências. Revista Brasileira de Educação, n.26, p.95-108, 2004.

MENESES, U.T.B. A problemática da identidade cultural nos museus: de objetivo (de ação) a objeto (de conhecimento). Anais do Museu Paulista da USP, São Paulo, n.1, p.207-222, 1993. MUSEUMS AND GALLERIES COMMISSION. Trad. Maria Luíza Pacheco Fernandes. São Paulo: EDUSP/Vitae, 2001. (Série Museologia, 2).

NASCIMENTO, Silvania Sousa do. O desafio de construção de uma nova prática educativa para os museus. In: FIGUEIREDO, Betânia; VIDAL, Diana (org.). Museus: dos gabinetes de curiosidades ao Museu Moderno. Belo Horizonte: Argumentum/CNPq, 2005. p. 221-239.

NORA, P. Rethinking France: les lieux de mémoire. Chicago: University of Chicago Press, 2001. v.1.

PERRELI, M.A.S. Museu Dom Bosco: reflexões sobre o seu papel como espaço educativo. In: PERRELI, M.A.S.; ALBUQUERQUE, L.B.; ANJOS-AQUINO, E.A.C. (orgs.). Descobrindo o Museu – experiências de pesquisa e extensão no Museu Dom Bosco. Campo Grande: UCDB, 2005. p.193-202.

PIO, L.G. Musealização e cultura contemporânea. In: Musas – Revista Brasileira de Museus e Museologia, Rio de Janeiro: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Departamento de Museus e Centros Culturais, n.2, p.48- 57, 2006.

NASCIMENTO, S.S. O desafio de construção de uma nova prática educativa para os museus. In: FIGUEIREDO, B.G.; VIDAL, D.G. (orgs.). Museus – dos gabinetes de curiosidades à museologia moderna. Brasília-DF: Argumentum, 2005. p.221-239.

SAMUEL, R. Theatres of memory. London: Verso, 1994.

SANTOS, C.T.M. O papel dos museus na construção de uma “Identidade Nacional”. Anais do Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, v.28, 1996.

SUANO, M. O que é museu. São Paulo: Brasiliense, 1986.

VALDÉS, J.F. Cómo hacer um museo de ciências. México: Fondo de Cultura Econômica, Universidad Autónoma de México, 1998.

VALÉRIO-BRUN, L.M. et al. Animais do Cerrado ameaçados de extinção do Museu Dom Bosco: uma forma de Educação Ambiental – Campo Grande, MS. In: CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL, 6. Anais... Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2003. p.560-561.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e linguagem. Trad. M. Resende, Lisboa, Antídoto, 1979.

______. A formação social da mente. Trad. José Cipolla Neto et alii. São Paulo, Livraria Martins Fontes, 1984.

Publicado
2016-03-07
Seção
Artigos